quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

O Karma, O Pecado Não Existe

Karma ou Carma é o termo do sânscrito, que aplica que a cada ação envolve uma reação − a lei da causa e efeito. Assim, nossas ações têm consequências, podendo ser positivas, benéficas, como negativas ou maléficas − tudo depende da energia que envolveu essas mesmas ações.

Com o passar dos anos, percebemos que as pessoas recebem, de fato, o mal que fizeram antes a outras pessoas. Foi natural observar em milênios passados que existia um retorno dos atos. E como o homem lança sobre Deus tudo o que não compreende, natural até imaginá-Lo como um implacável juiz dos exércitos. Alguém que vigia todos os nossos atos, imputando separadamente a cada um de seus filhos a devolução dos seus delitos, no sentido de corrigir suas criações ignorantes, onde deveriam aprender pelo amor ou pela dor.
Os representantes religiosos apregoam a nossa imperfeição, que somente Deus é Perfeito. Porém, se somos imperfeitos, como podemos entender, falar, sobre e em nome da Perfeição? Poderia a imperfeição compreender a Perfeição?

Nas pregações, são repassadas mensagens canalizadas, ou mediúnicas... etc. por vezes do próprio Deus, ou de seus mensageiros celestes. Essas afirmam que Deus é Perfeito, que ama incondicionalmente a sua criação, que não tem por que perdoar a alguém pelo fato de também não julgar a ninguém. Sendo assim, como pode existir o karma e o pecado? Alguém concebe a Perfeição, o amor universal castigando sua criação, sabendo de antemão que ela é imperfeita?

O mais contraditório é crer no AMOR PERFEITO, ou seja, DEUS permitir suas criações queimarem num fogo eterno, e criar seres voltados unicamente para o mal, no intuito de punir, testar, tentar suas criações ainda imperfeitas, etc. Há lógica em que erros sejam consertados com erros parecidos?
Na atualidade, bilhões de pessoas seguem esse Deus vingativo, julgando serem os escolhidos, aqueles que serão salvos. Estarão esses em sã consciência seguindo a verdade Real?

A série “A Harpa Sagrada” recorre ao bom senso das criaturas, ao esclarecer que o saber primitivo a respeito do Carma, do pecado, apregoado durante milênios sobre a face da Terra, é equivocado. Devido a isso, a maioria dos seres humanos não alcança suas iluminações e o mundo se encontra nessa atual conjuntura.

Se desde a mais tenra infância nossas mentes fossem voltadas para um Deus de Amor Universal, ao invés de um, punitivo, a realidade, com certeza, seria outra. Estaríamos voltados para um Deus perfeito, e nossas ações seguiriam pelo mesmo caminho. Não está escrito que tudo se encontra na mente do homem?
Custamos a aceitar a não existência cármica ou do pecado como castigo de Deus, quando em 1992 ascendeu em nossa mente, porque a lei de causa e efeito estava muito bem esquematizada em nosso entendimento. É fácil aceitar: “Fez, tem de pagar”, por sermos imperfeitos, e estarmos num mundo de sentidos mais físicos e longe do alcance da percepção do conhecimento real. Quem segue a crença de um Deus punitivo possui tendências psicológicas direcionadas no castigo, no mal, na imperfeição. Com certeza, em seu íntimo se compraz ao verificar alguém pagando por seus erros, porque esse é o cumprimento da lei do Deus que seguem.

Na série ”A Harpa Sagrada” indicamos a todos o que seja a verdadeira libertação da humanidade. As nossas explicações sobre a perfeição possuem maior lógica e sensatez do que as explicações existentes. Isso acontece porque experienciamos o AMOR UNIVERSAL “ALGUMAS VEZES”, E POR ALGUNS INSTANTES, e sabemos que nesse encontram-se reunidos TODOS os bons sentimentos do mundo. Ele é o bem supremo, qualquer falha no amor incondicional – com a criação de leis punitivas, castigos − macularia sua Perfeição. A essência do seu amor encontra-se além do êxtase, ou da alegria extremada que, por vezes, sentimos.

Muitos na Terra, que se julgam os escolhidos, afirmam não conseguirem ser felizes enquanto comungam junto à dor da humanidade. Foi nos transmitido que a dor, a pena, a comiseração, o sofrer junto à humanidade − como muitos pregam sentir − não pode elevar a humanidade, porque são forças análogas. No comungar do Amor Universal, alcançamos a frequência Deus. Somente estando nessa frequência podemos ajudar, porque essa se encontra acima da frequência, das imperfeições, humanas; apenas aquilo que se encontra acima, consegue elevar aquilo se encontra abaixo. Não é assim a evolução, galgar até a *perfeição? Abram suas mentes, e se nossas palavras estiverem desprovidas de uma razão perfeita, cósmica, nos rendemos. (*perfeição no nosso estagio, são graus cada vez mais elevados a serem conquistados)

No comungar do Amor Universal podemos tudo, mas esse tudo só nos leva a socorrer, a elevar a frequência daqueles que se encontram sucumbidos. Nesse sentir, só conseguimos desejar bem ao mundo inteiro, não pedimos nada para nós naquele momento, porque sentindo esse amor somos plenos, não nos falta nada. Por isso, já disseram: “Eu e o Pai, somos um.”

O Karma não existe como castigo de Deus. O fato é que SOMOS UM ACÚMULO SOBREPOSTO de forças eletromagnéticas naturais (...), e estamos ligados por uma força de coesão ascendente, imersos dentro de uma mesma força eletromagnética, embora bem maior: DEUS.
João Batista já disse: Tudo se encontra imerso em Deus: “NELE, somos, nos movemos e existimos...”

Hoje, as descobertas científicas com próteses, cirurgias ultra-uterinas, células-tronco etc. amenizam a dor humana; contudo, essas descobertas poderiam estar mais avançadas, não tivessem sido impedidas por tantos séculos. Muitos seres humanos poderiam estar livres de suas mazelas atuais − que muitos julgam castigos, por que o entendimento da humanidade também já poderia ser outro.

A ciência também já provou: TUDO E TODOS VIBRAMOS DENTRO DE GRAUS OU FREQUÊNCIAS ELETROMAGNÉTICAS. Muito em breve, será possível medir o grau de frequência eletromagnética de cada criatura. Na serie, ”A Harpa Sagrada”, isso é possível e muito mais.

Os cientistas da Nasa reconhecem que tudo o que existe é composto por forças eletromagnéticas em graus diferenciados. Nesse TUDO, nós estamos incluídos. Assim, dentro dessas frequências, atraímos situações ou pessoas semelhantes. Religiosos, bêbados, cientistas, jogadores, cantores, artistas, bem como acontecimentos de medo etc., tudo se encontra ligado dentro de semelhanças atrativas. O pensamento é vida, um grau eletromagnético de vibração aceita por cada um, que acaba criando situações presentes e futuras.

Acidentes fatais, ou não de carro, por exemplo, seriam resgates, e quantos estariam envolvidos nesses resgates? Se sim, quantos teriam culpa? Quem inventou o carro? Aquele que teve a ideia de seguir por tal caminho? Dos pais que colocaram no mundo os filhos imprudentes que provocaram o acontecido? De quem inventou o cinto de segurança, etc.? Ou se tudo oscila dentro de vibrações, as criaturas são levadas, atraídas, conduzidas a tais acontecimentos, segundo as vibrações internas que carregam, dessas ou de outras vivências.

Muitos dizem que tudo é pensamento, é lei de atração, mas podemos acrescentar, sem medo de errar, que tudo é vibração, seguindo uma frequência eletromagnética. O nosso pensamento funciona como um imã, e se perpetuarmos nosso entendimento na culpa, no fez tem de pagar ou expiação continuaremos indefinidamente aprisionados na imperfeição.
Quando tudo isso for compreendido, as existências serão plenas de descobertas cada vez maiores, porque cada um aprenderá, desde cedo, a ser mais consciente seguindo apenas os bons sentimentos. E cada um aprenderá de maneira irrefutável, ou seja, científica − do que é capaz, e que deve dar o máximo de si. Quanto mais se elevarem seguindo um Deus que é apenas Perfeição e Amor universal, abraçarão igualmente a perfeição e mais receberão, e recebendo mais, crescem de forma perfeita. A ideia de justiça kármica nada mais é do que uma vingança disfarçada. Aquele que segue esse Deus da desforra se não mudar, dificilmente alcançará a perfeição real.
Quando os homens deixarem de ser loucos, e enxergarem os pecados, o karma como algo que deva anulado, por que são nossa imperfeição ainda, e fixar na perfeição que almejam, exaltando as qualidades, as superações humanas, o mal vai desaparecer da face da Terra. Os homens devem conscientizar-se de que foram, são, e serão o que pensam, o que propagam. Deus deu ao homem a razão crescente, para que chegássemos a ELE. Essa simples pagina poderá mudar não apenas o nosso futuro, mas de toda a humanidade. As mudanças para as grandes questões da humanidade se encontram nas coisas mais simples, porque somente essas se encontram ao alcance de todos. O caminho para a Perfeição é o da simplicidade.
A série “A Harpa Sagrada” repassa, conceitos óbvios para os simples de coração, mas grandes nas pegadas rumo ao amor universal.


“O mistério em qualquer mundo será sempre buscado, porque é dele que renascem as novas engrenagens universais” (A Harpa Sagrada)


A religião do futuro será cósmica e transcenderá um Deus pessoal, evitando os dogmas e a teologia. (ALBERT EINSTEIN)

sábado, 3 de setembro de 2016

Arco Voltaico Craniochacral

EV08052014
Definição. “O arco voltaico craniochacral é a técnica de transmissão e assimilação intensa de energia consciencial (EC) com a palma da mão esquerda (palmochacra) do assistente, homem ou mulher, na área nucal e a outra palma da mão direita (palmochacra) junto ao frontochacra da pessoa assistida, sem tocar o soma, buscando eliminar os bloqueios de energias gravitantes por meio da assim e da desassim, ou das manifestações energéticas vigorosas (alta voltagem das ECs) dos 2 palmochacras do assistente, dos 2 chacras encefálicos do assistente, dos 2 hemisférios cerebrais do assistente, dos 2 chacras encefálicos do assistido e dos 2 hemisférios cerebrais do assistido” [1]
Perspectiva História. Segundo Vieira [2], o Arco Voltaico Craniochacral já era praticado desde a antiguidade pelos serenões (consciências superevoluídas).
A técnica, ensinada por Vieira, já era usada pelo staff do IIP – Instituto Internacional da Projeciologia, no início da década de 1990 (inclusive pelo autor desse post que era professor da instituição naquela época). A primeira referência escrita da técnica surgiu apenas em 1994 na obra de Vieira, 700 Experimentos da Conscienciologia, onde existe uma única breve citação.
Depois disso, somente em maio de 2008, com a publicação do respectivo verbete durante uma Tertúlia Conscienciológica, o assunto foi abordado com mais propriedade. Após a divulgação desse verbete, a técnica passou a ser citada com frequência nos trabalhos posteriores de Vieira e da comunidade conscienciológica.
Explicando a Definição Acima.
  • Arco Voltaico. É uma descarga elétrica resultante de um fluxo de corrente elétrica de alta tensão entre dois pontos que assume a forma de um arco. O termo é usado no sentido metafórico para descrever a técnica bioernegética.
  • Craniochacral. A técnica mobiliza energias conscienciais diretamente em dois chacras (centros energéticos) situados no crânio assim como outros existentes nessa região do corpo humano.
  • Energia Consciencial – EC. É a energia produzida pelas consciências, intrafísicas e extrafísicas.
  • Palmochacra. É um centro energético localizado na palma da mão.
  • Frontochacra. É um centro energético localizado na região da testa, entre as sobrancelhas.
  • Soma. O corpo físico.
  • Energias Gravitantes. Energias estáticas, paradas, agregadas a uma pessoa, a parte de seu corpo, a um objeto ou local, quase sempre negativas.
  • Assim. Assimilação simpática das ECs de uma pessoa por outra.
  • Desassim. Desassimilação simpática das ECs absorvidas por uma pessoa, geralmente feita por meio da instalação do Estado Vibracional.
Assistido. Pessoa que é assistida por meio dessa técnica. Normalmente uma pessoa com algum tipo de distúrbio energético ou consciencial, ligeiro ou agudo, que pode ser resultante de autoassédio, heteroassédio, da pensenização  inadequada e até de origem multiexistencial (vidas passadas). Em tese, qualquer pessoa pode ser assistida por meio do Arco Voltaico.
Aplicador. Pessoa que aplica a técnica do Arco Voltaico. Deve ser um indivíduo cujas ECs estejam relativamente equilibradas, caso contrário, ao invés de ajudar o assistido, ele poderá até piorar seu estado. O aplicador também deve ter relativo controle de suas ECs, dominando a instalação do EV.
Dinâmica. A técnica é executada com o aplicador de pé e o assistido sentado e demanda não mais do que 5 minutos. Durante esse período de tempo, o aplicador promove uma intensa mobilização de suas ECs conforme descrito na definição acima. O processo faz com que as energias gravitantes, densas, agregadas ao holossoma do assistido, mais especificamente, no paracérebro do psicossoma, sejam em parte dissolvidas e em parte absorvidas pelo aplicador. O acoplamento áurico do aplicador com o assistido, somado a absorção das energias gravitantes, faz com que o primeiro sinta de forma parcial ou total os processos doentios que afligem o assistido naquele momento. Se bem feito (intencionalidade correta, de forma cosmoética) o processo será sustentado e potencializado por amparadores extrafísicos. Se houverem assediadores, esses poderão receber as irradiações do Arco Voltaico junto com o assistido. Ao fim da aplicação, o assistido pode sentir-se zonzo e o aplicador deve fazer um EV para dessassimilar as ECs gravitantes absorvidas.
Lógica. O Arco Voltaico é a aplicação intensa de ECs em centros energéticos específicos da consciência. Porque uma pessoa deve submeter-se a um Arco Voltaico ao invés de fazer um EV ou tomar um passe espírita? Pelo mesmo motivo que uma caminhada faz bem à saúde, mas, não resolve problemas mais sérios e mais específicos no corpo, o EV e outras manobras energéticas que atingem todo o holossoma, fazem bem a saúde bioenergética, mas, podem não ter a força para desbloquear processos bioenergéticos cronicificados.
Casos Específicos.
  • A pessoa mediunizada. Em pessoas mediunizadas, “possuídas” por consciências extrafísicas, deve-se esperar para que voltem ao estado de lucidez para então aplicar a técnica.
  • Autismo. Os pais da criança autista podem aplicar a técnica diariamente em complemento a outros tratamentos a fim de acelerar os processos terapêuticos em curso.
  •  Extrafísico. O arco voltaico quando promovido por amparadores no projetor extrafísico geralmente tem por objetivo aumentar sua lucidez.
  • Ectoplasta. Se o aplicador for um ectoplasta, ele poderá sentir as mãos esfriarem quando fizer o Arco.
  • Vertigem. Se o aplicador ficar tonto e sentir vertigem durante e após executar a técnica é porque a pessoa que ele assistiu está com um problema muito sério, superando sua capacidade e preparo para assisti-lo.
  • Enxaqueca. Problemas que cronicificaram e tornaram-se físicos, como a enxaqueca, podem ser temporariamente amenizados pelo Arco Voltaico. O tratamento médico convencional, nesses casos, continua sendo necessário.
  • Paracirurgia. Sob condições especiais, o Arco Voltaico pode ser suficientemente intenso e profundo, a ponto de proporcionar a realização de cirurgias no paracérebro do psicossoma, promovidas por amparadores extrafísicos.
Aplicador iniciante. Pode não sentir nada durante o processo da assim.
Aplicador veterano. Sente os sintomas do assistido devido ao processo da assim; comunica-se telepaticamente com os amparadores extrafísicos; recebe instruções para, eventualmente, atuar em outros centros energéticos do assistido.
Auto Arco Voltaico. Ante o exposto, não faz muito sentido uma pessoa aplicar o Arco Voltaico em si mesma pois não haverá a assim, mecanismo essencial ao funcionamento da técnica.
Outros Arcos. Assim como existe o Arco Craniochacral, existem outros mais, envolvendo outros chacras. Segundo Vieira, de todos, o Arco Craniochacral é o mais importante de todos por mexer com a estrutura neuronal e com o paracérebro.
Pondo a Técnica em Prática. Se você, leitor ou leitora, deseja colocar em prática essa técnica, preferencialmente comece “fazendo laboratório”, aplicando-a em pessoas conhecidas, amigas, que não apresentem problemas psíquicos ou energéticos sérios, para, posteriormente aplica-la em pessoas que efetivamente precisam de ajuda. Naturalmente, existem exceções. Use o bom senso para definir quem serão seus primeiros assistidos. Procure manter um padrão de pensamentos, sentimentos e emoções hígidos, equilibrados ao aplicar a técnica. O ideal é não julgar a pessoa assistida. Apenas deseje que aconteça o que for o melhor para ela. Por fim, nunca deixe de instalar um EV ao término da técnica. Sempre que possível, registre os resultados obtidos que poderão ficar evidenciados apenas alguns dias depois.

Referências 

[1] Vieira, Waldo. Enciclopédia da Conscienciologia. Arco Voltaico Craniochacral. 2008
[2] Tertúlia Conscienciológica Arco Voltaico Craniochacral .

fonte-https://estadovibracional.com/category/chacras/


quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Geometria Sagrada




Reconexão - Frequências Ressonantes - Aspecto Fractal da Holografia Universal - 
Geometria Sagrada

Formas geométricas são as "escrituras" da criação da Vida, descrevem o crescimento, a interação e a integração de todos os sistemas existentes, conhecidos ou ainda desconhecidos, desde as forças que promovem as ligações atômicas dentro dos átomos, em suas formas, das mais simples às mais complexas, até a composição de galáxias.

Geometria sagrada é o idioma configurado dos componentes elementares da força criadora que dá origem a toda a Vida e, como tal, oferece um canal direto da Consciência com a Fonte.

Esta linguagem ultrapassa o perímetro dogmático do intelecto para transmitir o conhecimento que existe para além, e fora do alcance, da religião, filosofia, crença ou descrença.

Geometria sagrada é uma "linguagem" pura, que não se importa com o país de seu nascimento, a cor da sua pele ou suas crenças culturais. Ela expressa a harmonia da inter-relação que está no cerne da criação, a transmissão de padrões de frequência que ressoamcom o projeto original da Humanidade.

O código de DNA humano é construído sobre vias de frequências de ultra-organizada Inteligência creativa. A infra-estrutura vibratória deste projeto está escrito na linguagem geométrica de luz.

O SER Humano é o órgão sensorial para a ascensão planetária e a Terra é o órgão contra ressonante para a ascensão humana.

Nos tornamos conscientes dos nossos campos de energia e das vibrações das frequências eletromagnética e da importância em nossa neurobiologia e bioquímica. Através das descobertas feitas na área da genética, vamos nos tornando conscientes de que há uma ciência conjunta a espiritualidade, e que nossa química afeta nossa consciência. Levando isso ainda mais adiante, agora estamos fazendo a conexão entre o estado mutante do nosso DNA e as insanidades global de genocídio, guerra e sofrimento humano sem fim. A consciência dessa conexão é a próxima revolução que está a caminho e que levará irremediavelmente ao fim destas insanidades.

A Humanidade desperta para uma nova consciência do seu existir, do seu corpo como um organismo, que é parte integrante da realidade existencial, e somos levados a adquirir domínio sobre nossos próprios mecanismos internos e a descobrir como podemos interagir e co-crear a realidade em que nos encontramos. Em vez de procurar a experiência fora do corpo, a fim de realizar a nossa identidade espiritual, estamos começando a compreender que o nosso ser físico é a manifestação dessa identidade, é o instrumento desta realidade dimensional que conhecemos como física e material, e passamos a perceber que os veículos físicos em que encarnamos é o que nos permitirá transcender esse medo baseado na realidade limitada e, a crear, através da ressurreição de nosso potencial humano, um novo paradigma - uma idade de ouro.

Essa consciência da comunhão com geometria sagrada é um aspecto fundamental do despertar evolutivo da Humanidade.

Incorporados na matriz da Humanidade - que é 'escrita' na linguagem da geometria sagrada da luz e formas (axiatonal) e está fora do alcance de qualquer tipo de manipulação - a infra-estrutura primária de toda a existência é luz ...tudo é luz ...


À medida que interagimos com as frequências composta de um amplo espectro de Luz, Energia e Informação, entramos em comunhão com as frequências mais elevadas de creação que ressoam com o nosso projeto original da Humanidade, tal como existia antes da modificação genética do DNA humano.
Uma das mais importantes descobertas da nova física quântica é a natureza holográfica do universo.
E cada Humano é um aspecto fractal da holografia universal.

A linguagem geométrica de luz que forma a matriz subjacente a este holograma é o alfabeto do novo paradigma.

Devido à sua modificação genética, a presente manifestação da raça humana não está representando a potência total desse holograma. No entanto, o 'molde' para o modelo imortal ainda existe na matriz original incorporados na matriz Humanos, ou seja, ainda reside dentro de cada um, em 'modo de espera' para ser reconectada.

Quando interagimos com os seus campos de influência informacional sua irradiação energética emite uma frequência que comunga com a infra-estrutura vibratória do nosso projeto original, em busca de uma frequência com a qual ressoamos. Através deste feedback , desta retroalimentação ressonante, a integridade estrutural do modelo original Humanos, presente na matriz original, é reforçada.


Reconexão é quando a 'matrix de controle' é desligada e a 'matriz original' é reconectada.

Quando um projeto específico e a progressão destes códigos de criação geométrica é reconectado com os códigos de som, luz e cores (axiatonal) a biblioteca de lembrança no córtex cerebral está envolvida, uma alquimia neuro-química inicia em coerência ativa entre a infra-estrutura vibratória da Alma em reconexão com a superestrutura do corpo físico. Esta coerência no fluxo de dados da identidade do projeto original da Humanidade, antes de modificação genética, é entregue como informações de amplo espectro de frequências de luz e informação na forma de circuitos magneticoelétricos para ser integrado pelo sistema de circuitos eletromagnéticos "coração-corpo-mente". Assim, o corpo humano ressonante com a matriz original é o "cálice sagrado" da Fonte manifesta.
Seu corpo é a matriz física da sua inteligência divina reconectada a Fonte de TUDO O QUE É.

Como a consciência onisciente se expande através do "download" do conhecimento divino natural, através do sistema de troca, interelação de circuitos magneticoelétricos - eletromagnéticos, sua matriz física se altera em conformidade. Com a aceleração de infiltrados Sistemas Inteligentes em coerência ressonante desta matriz original com o sistema coração-mente-corpo, as capacidades computacionais do indivíduo são atualizadas exponencialmente para acomodar mais e mais circuitos ... A inteligência cada vez mais amplificada, em um círculo de espiral e sempre crescente de evolução consciente.


( Inteligência = Interligare = capacidade de fazer ligações)

Geometria, e a redefinição de Deus como a Fonte de TUDO O QUE É, na psique humana

A definição equivocada de Deus é uma manipulação das mais malévola e poderosas da consciência. Este micélio de fraude foi perpetrada em uma miríade de formas, incluindo a manipulação de recordação histórica e a inserção de uma ancestralidade falsas. Essa herança falsa tem entrincheirados dentro da psique a dualidade arquetípica dos modelos demoníaca e angelical, (bem e mal) criando conflitos em camadas mais profundas de referência de comportamento humano e resultando em feridas profundas de abandono, de separação espiritual e traição.

O influxo de Inteligência da Fonte entregue pelos bio-circuitos reconectados ativa nossa identidade essencial. Inicia uma limpeza da arena arquetípica, não por reprogramação, mas por sintonizar o sistema coração-mente-corpo em ressonância coerente com o projeto original do Homem, que é incorporado na matriz Humanos.

Estes circuitos, uma vez restabelecidos, dissolvem, desintegram a vergonha e culpa baseada em construções da ideologia meramente intelectual predominante. Definições errôneas de Deus, enraizadas pela regência da doutrinação das religiões, que reinaram supremas dentro da arena arquetípica da psique humana, são substituídos com a verdade ressonante das frequências geometricas da criação, uma verdade que não é imposta ao indivíduo com as imprecisões dos dados reunidos historicamente, mas que se desdobra como um resultado de alinhamentos orgânicos instigada pelo reencontro com a Fonte.
A Geometria Sagrada

A natureza alquimica da geometria tem uma frequência harmônica ressonante com ativação diretiva da Vida, que é transmitida a partir do Coração do Cosmos e do pulso receptivo de integração que emana do núcleo cristalino do planeta Terra. Este código geometricamente replica o "namoro tântrico" da criação. A unidade individual Humanos do circuito é o mediador conjugal dessas duas frequências de criação, ressuscitando o templo do corpo humano como o recinto sagrado para o casamento sagrado da "Mãe da Forma" e do "Pai da Consciência".

Transmutar o modelo histórico de comportamento cultural (e da linguagem patriarcal que emprega) para transcender a estrutura dualista da psicologia atual, escoltando-o para a arena de experiência alquímica, inicia cura das feridas de abandono e traição que têm perseguido a raça humana.


Cura é uma reconexão do campo eletromagnético do ser humano com o campo da grade eletromagnética da Terra que por sua vez conecta para a magnitude do impulso magneticoelétrico da Vida, que emana incessantemente de Núcleo Galáctico/Fonte/Universo Inteligente.

O abraço do modelo holonômico que governa toda a existência ressuscita o potencial para a auto-rejuvenescimento, que é o nosso estado natural.

Somos uma raça imortal "trancada" em um paradigma mortal.

Através de reconexão com a pura energia da Consciência Fonte, através da reconexão de circuitos, a identidade do núcleo imortal abraça a matriz divina original da forma que é o corpo físico, e que define o ser humano como um instrumento de luz e amor da benevolência da Criação.

Através da experiência, única e particular da Reconexão abrimos uma porta, vai atravessar?


É tempo de RecONEctar!

Fonte: Facebook Karla Kinhirin

Instrutor TA The Reconnection®
Cura Reconectiva®
A Reconexão ®
Informações : info@ReconectarBrasil.com


www.ReconectarBrasil.com

Art&xperiência em Tecnologia de Evolução

É permitido compartilhar desde que seja respeitado o artigo original, os créditos ao autor e indicação dos links.
#ReconectarBrasil #KarlaKinhirin #ÉTempoDeRecONEctar


quarta-feira, 24 de agosto de 2016

A LEI METAFÍSICA DA MANIFESTAÇÃO – VISÃO HOLOGRÁFICA SOBRE A CURA

O universo não funciona numa lógica humana e, sim, cósmica. 
A lei é muito simples e prática. 
Tudo que quer receber seja dos outros ou do “universo” segue um princípio básico: você precisa manifestar primeiro em você.Manifestar é o que antecede o materializar.

 O que quero dizer é que a manifestação é o modelo interno que você cria de como quer estar e se sentir em sua vida. Isto também vale para as emoções e comportamentos. Se você não se respeitar, se aceitar, se apoiar, se acolher, dificilmente sua realidade refletirá isso de volta para você e muito menos as pessoas lhe darão aquilo que você ainda não se permite manifestar em você. É importante se dar primeiro para que o outro reflita de volta para você.Não espere o outro lhe apoiar, seja o seu próprio apoio. 

Se quiser viver uma realidade próspera ou manifestar um ótimo relacionamento afetivo, é necessário por um momento manifestar dentro de você com clareza e foco. Lembre-se a materialização de um evento segue a sua manifestação e ela é sempre interna. 
Seja sempre o primeiro para você e se dê tudo..

Horácio Frazão

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Dor e sofrimento....




Toda dor, desconforto, bloqueio que projetamos fora - encontrando nos outros os culpados para nossas dores - estão na verdade dentro de nós. Aquilo que você pensa que é seu chefe, marido, vizinho, filho provocando em você... Somos nós mesmos. Toda dor é uma atualização de alguma ferida inicial, não olhada, amada, tratada... e que precisa de atenção. A dor é um alarme... caímos no velho buraco! E Quanto mais olhamos fora de nós, menos chegamos perto da liberdade que tanto desejamos e mais nos afastamos do remédio. ♡ Precipitadamente, queremos nos libertar, instantaneamente, dos desconfortos. Não queremos olhar para o que incomoda dentro e então, atacamos, acusamos, rejeitamos os outros, e o pior de tudo... atacamos a nós mesmos por não integrarmos e acolhermos um pedaço de nós. Um pedaço que está tentando mostrar que existe uma parte nossa, lá trás, perdida no passado, que não foi amada. Seu papel hoje é integrar tudo isso. Seu papel é se autoconectar, deixar fluir a energia bloqueada.Parar de olhar para fora e começar a se dar o Remédio que só existe dentro... que nunca virá de fora: Amor por você mesmo e para todos os seus bloqueios emocionais. Você precisa parar de se endurecer e resistir e sim deixar que finalmente as emoções possam se mover e ir embora. Você pode fazer isso se autoconectando com você mesmo todos os dias... silenciar, deixar as camadas da cebola irem saindo... entenda que a dor nova é apenas a ferida antiga te chamando para uma GRANDE CURA ♡

por Ariana Schlösser

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Você está projetando?


Veja o que você está fazendo. É fácil reconhecer quando se está projetando? Uma dica é a negatividade — a projeção nunca é neutra. Ela se manifesta como uma energia negativa porque o que está sendo camuflado é negativo. Isso acaba sendo um auxílio. Você sabe quando está se sentindo zangado ou ansioso. Esses são sentimentos sombrios. Mas, quando você está direcionando sua raiva a alguém, ou alguma coisa, ou vendo razões para temer por toda parte (a negatividade está presente), você tem um exemplo claro de projeção.

Você está projetando? 
Aqui estão as formas típicas que a projeção pode assumir: Superioridade. "Eu sei que sou melhor que você. Você deveria ver e reconhecer isso." Injustiça. "É uma injustiça que essas coisas ruins aconteçam comigo" ou "Eu não mereço isso."

Arrogância. "Tenho orgulho demais para me incomodar com você. Até sua presença me irrita."

Defensiva. "Você está me atacando, então, não estou ouvindo."

Culpar os outros. "Eu não fiz nada. É tudo culpa sua."

Idealizar os outros. "Meu pai era como um Deus quando eu era pequeno", "Minha mãe era a melhor mãe do mundo" ou "O homem com quem eu me casar será o meu herói". Preconceito. "Ele é um deles, e você sabe como eles são" ou "Cuidado, esse tipo de gente é perigosa."

Ciúme. "Você está pensando em me trair; posso ver isso."

 Paranoia. "Eles querem me pegar" ou "Eu vejo a conspiração que ninguém mais vê". Sempre que um desses comportamentos surgir, há um sentimento oculto na sombra que você não consegue encarar.

Aqui estão alguns exemplos: A superioridade camufla o sentimento de fracasso ou o de que os outros o rejeitariam se soubessem quem você realmente é.

A injustiça camufla o sentimento de pecaminosidade ou a sensação de que você é sempre culpado. A arrogância camufla a raiva acumulada e, abaixo dela, há uma dor profundamente arraigada.

A defensiva camufla a sensação de que você é indigno e fraco. A menos que você se defenda dos outros, eles começarão a atacá-lo. 

Culpar os outros camufla a sensação de que você está agindo errado e deveria se envergonhar. Idealizar os outros camufla a sensação de que você é uma criança fraca e indefesa, que precisa de proteção e cuidados.

O preconceito camufla o sentimento de que você é inferior e merece ser rejeitado. O ciúme camufla seu próprio impulso de desvio ou um senso de inadequação sexual.

A paranoia camufla uma ansiedade entranhada e sufocante.

Como você pode ver, a projeção é muito mais sutil do que se imagina. No entanto, é uma porta aberta para a sombra. É uma porta dolorosa, já que aquilo que é visto como falha nos outros mascara seu sentimento em relação a você mesmo. O ideal seria que pudéssemos parar de culpar e julgar de uma vez por todas. Na realidade, desfazer a sombra é sempre um processo. Para interromper a projeção, você precisa enxergar o que está fazendo, entrar em contato com o sentimento oculto sob a superfície e fazer as pazes com esse sentimento.

fonte de Luz: O efeito sombra-Deepak Chopra et al.

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Autoconfiança Invexológica


Introdução. Na sociedade existem diversos padrões pelos quais a grande maioria das pessoas são influenciadas diariamente, que se seguidos sem autocrítica podem fixar-se ao modo de uma zona de conforto. São repetições de ações que a consciência (ego, personalidade) faz em sua vida, e acaba criando uma espécie de bolha ao seu redor, da qual não consegue sair devido a um conjunto de crenças que na realidade não lhe ajudam a evoluir para novos patamares. A título de exemplo, desde muitas gerações diversas pessoas vem seguindo este padrão: nascer, crescer, casar, reproduzir herdeiros e morrer. Para renovar este ciclo costumeiro da vida já na fase da juventude, por meio da aplicação da técnica da inversão existencial, é essencial obter a autoconfiança invexológica.


Definição. A autoconfiança invexológica é a condição de reconhecer-se capaz de atuar sobre as decisões relativas à aplicação da técnica da inversão existencial, possuindo segurança e convicção na realização de ações evolutivas diante de fatos e parafatos.


Travões. Perante a nossa existência existem diversos travões que podem se manifestar impedindo a autoconfiança do jovem inversor, os quais podem ser impedidores para a realização da proéxis (programação existencial), ou seja, a missão de vida que jovem inversor programou antes dessa existência no seu período intermissivo (período entre duas vidas).


Exemplos. Após estudar sobre os travões da autoconfiança, eis a seguir 3 exemplos que podem travar a autoconfiança do jovem inversor, seguidos de reflexões geradoras de autoenfrentamento:
Paragenética. São as características que a consciência armazenou através das experiências em outras vidas e durante o seu período intermissivo. Essas características se manifestam na atual existência simultaneamente com a genética. A consciência (ego, personalidade) pode trazer determinados traumas, defeitos, carências e fobias nesta existência que podem ter origem da paragenética.


Reflexão. Quais características de origem paragenética que atrapalham minha autoconfiança perante as decisões que procuro enfrentar? Quais traços que se manifestam em mim que não parecem ser apenas desta existência?
Genética. A herança genética que recebemos de nossos antepassados, seja ela de características físicas como doenças, ou não físicas como comportamentos e o modo como analisamos e avaliamos os fatos, podem ter influência genética.


Reflexão. Quais características minha são de origem genética que atrapalham minha autoconfiança? Tem mais pessoas na minha família com a mesma característica? Qual a predominância?
Mesologia. São as características que a consciência desenvolve sendo influenciada no ambiente em que vive (sociedade). Exemplos são as indústrias do álcool, dos esportes radicais, da estética, do tabagismo e da moda influenciando nas manifestações pessoais do jovem, ao modo de fuga do enfrentamento quanto a si mesmo, sendo, portanto, negativas para a autoconfiança.


Reflexão. Qual o grau de influência da mesologia sobre mim que me atrapalha no desenvolvimento da minha autoconfiança? Quais traços fardos (trafares) que eu tenho, que provavelmente obtive através da mesologia?





Carências. Muito comuns na sociedade, existem diversos tipos de carências, como por exemplo a de tipo afetiva, a energética, a sexual, a intelectual e a de coragem. O nível e o tipo de cada carência variam de pessoa para pessoa. Sabe-se que uma das grandes origens da baixa autoconfiança, são as carências que podem ter origem paragenética, genética ou das influências da mesologia.


Reflexão. Você tem algum grau de carência afetiva, energética, sexual, intelectual ou de coragem? De onde surgiu essa carência? Qual desses três predomina mais em você? A origem paragenética, genética ou a mesologia? Quais traços fardos (traços negativos) que isso gerou em você que atrapalha em sua autoconfiança?


Superficialidade. Existe também uma autoconfiança superficial, ou autoconfiança falsa, pois é uma autoconfiança que vai se basear em meios externos, e não na sua própria capacidade. Ela pode ser derivada de 3 aspectos, listadas a seguir em ordem alfabética:
Heteroaceitação. Neste caso a consciência procura indícios externos para que pensem bem dela, sendo uma busca constante por aceitação caracterizada na realidade por uma falta de auto-aceitação, de modo que a consciência busca nos outros aquilo que não tem. E caso os outros não pensem bem dela, a pessoa decide menosprezar o próximo, para assim se sentir segura. Existe também o caso das consciências que se fazem de vítimas para receber elogios, e se acharem especiais. Neste caso se colocam abaixo das outras pessoas e acham que os outros são superiores, desse jeito se fazem de vítima, para que os outros digam que ela é especial, para assim se autoafirmarem e terem elogios para acabarem se sentindo “melhor” dessa forma.
Heteroimagem. A autoconfiança, quando baseada em uma heteroimagem, ou seja, hetero = externo, de fora, e imagem = representação da imagem que a pessoa tem de si baseada no que os outros pensam dela, possui seu valor vinculado ao externo e medido pela aprovação do grupo em que convive.
Muletas. Este tipo se caracteriza pela consciência procurar ter autoconfiança através de meios externos fazendo disto como se fosse uma “muleta”, a qual sempre vai precisar para se “segurar”, ou seja, para sentir-se autoconfiante. Pode-se dizer também que seria uma autoconfiançacompensiva. A partir do momento que a consciência não alcança o que planejou ou perde esta muleta, ocorre a frustração. Por exemplo: O jovem vai à academia para trabalhar seu corpo com a intenção de ficar musculoso, para assim adquirir autoconfiança. Essa autoconfiança vai ser baseada em meios externos, nesse caso o seu corpo. Vamos supor que este jovem sofra um acidente, e seu corpo nunca volte ao normal, então vai acontecer que essa autoconfiança vai ser quebrada e pode gerar uma frustração, pois ele tinha feito o corpo como uma muleta, o qual estava cheio de expectativas perante a isso.








Trafares. Eis abaixo outros exemplos de traços fardos (trafares), ou seja, traços negativos e ações emocionais desequilibradas que a consciência pode ter desenvolvido através da paragenética, genética ou mesologia (lembrando que, a consciência pode ter os 3 influenciando, mas um é o predominante).


Perfeccionismo Agressividade Maledicência


Ansiedade Dispersão Traumas e fobias


Medo de críticas Vaidade Autoculpa


Controle patológico Manipulação Arrogância


Competição Medo da interação social Autocorrupção


Exibicionismo Medo desconhecido Dogmas


Desenvolvimento. O desenvolvimento e qualificação da autoconfiança é um processo demorado, que não vai ser mudado de uma hora para outra. Eis a seguir 6 maneiras para auxiliar no processo de desenvolvimento da autoconfiança sadia, listadas em ordem alfabética:


1. Autoconsciencioterapia. A Consciencioterapia é a especialidade da Conscienciologia destinada ao estudo da terapia sob o enfoque do paradigma consciencial. Neste artigo podem ser encontrados diversas técnicas de autoconsciencioterapia que com toda certeza podem ajudar na autoconfiança (clique aqui para acessar o artigo).


2. Intencionalidade. Outro fator importante no desenvolvimento da autoconfiança é aintencionalidade. Antes de querer desenvolver a autoconfiança, é bom sempre se perguntar: Qual minha intenção no desenvolvimento da autoconfiança? É uma intenção saudável, assistencial, livre de carências? Ou é uma intenção patológica, com a intenção de “os outros me verem que estou melhorando?” Qual a real importância da autoconfiança para mim


3. Interação. Muitos jovens têm dificuldade em interagir com as outras pessoas no dia a dia, isso não ajuda em aumentar a autoconfiança, e sim pelo contrário, apenas prejudica. Uma forma prática de interagir com diversas pessoas é ter a seguinte intencionalidade: Eu posso conhecer essa pessoa, ajudar ela de alguma forma e também aprender coisas incríveis. Quais os traços força que ela tem que eu ainda não percebi? Quem tem dificuldade em interações sociais deve começar com coisas pequenas ações, como por exemplo: pedir uma informação no cinema sobre o horário do filme, comentar sobre o clima com alguém, pedir as horas, e assim por diante, utilizando pequenos assuntos que dão ganchos para começar uma boa conversa. Na experiência pessoal deste autor, através de pequenas interações com pessoas desconhecidas foi possível ajudar diversas consciências e também aprender muito, além de desenvolver habilidades sociais. Esta técnica, além de ajudar na autoconfiança, vai lhe ajudar também na comunicação e outras diversas qualidades que você pode adquirir com ela. Mas é sempre importante atentar para a intencionalidade, avaliando sempre a qualificação de sua intenção ao ir interagindo com desconhecidos e conhecidos para não criar vaidade, exibicionismo e outros traços negativos.


4. Reconciliação. Refletir: o quanto eu ainda me encarrego de culpa de algum fato do passado? Para realizar a auto e hetero reconciliação, recomenda-se o livro Autocura Através Da Reconciliação, da autora Málu Balona. A seguir uma entrevista com a autora sobre o assunto:


5. Reconhecimento. A positividade e o reconhecimento das ações positivas que o jovem faz ou já fez são muito importantes para o desenvolvimento da autoconfiança, ainda mais para o jovem que por não ter tanta experiência intrafísica, acaba achando que não fez muitas coisas importantes para sua evolução. É importante que reconheça todas as decisões e ações que você já fez e foram positivas para você, aprendendo a valorizá-las. No livro Autocura Através Da Reconciliação, já citado anteriormente, existe uma técnica que indica realizar uma lista de 100 autoafirmações realistas, que lhe darão mais gás, perante as ações do dia a dia.


6. Traços. Quais os traços fardos (trafares), que eu tenho que são prejudiciais para minha autoconfiança? E quais os traços fortes (trafores) que eu tenho que podem me ajudar a superar estes traços e melhorar minha autoconfiança perante as decisões invexológicas? A seguir um vídeo a respeito da técnica:

Lembrete. A autoconfiança não quer dizer saber tudo e sim estar seguro que é capaz de aprender sempre coisas novas e compartilhar suas experiências por menor que sejam. A partir deste artigo convido você leitor ou leitora, trabalhar a sua autoconfiança e explorar da melhor forma sua existência, que com certeza já incrível e ainda poderá ser mais! Como diz a frase: “Assim que você confiar em si mesmo, você saberá como viver.” (Johann Goethe)



Referências:
Arakaki, Kátia; Auto-estima e proéxis; Artigo; Conscientia; Revista; Vol. 5; N. 3; Centro de Altos Estudos da Conscienciologia; Foz do Iguaçu, PR; Julho-Setembro, 2001; páginas 98 a 106.
Araújo, Ana Luiza de Carvalho; Bichara, Felippe Feres; & Araújo, Leopoldo Freitas;Perfeccionismo: Autoconhecimento e Desapego dos Ideais Perfeitos; Artigo; Conscientia; Revista; Vol. 18; N. 1; Centro de Altos Estudos da Conscienciologia; Foz do Iguaçu, PR; Janeiro-Março, 2014; páginas 48 a 58.
Balona, Málu; Autocura Através da Reconciliação; 3ª Ed.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2009; páginas 103 a 107.
Musskopf, Tony; Autenticidade (Intrafisicologia); Artigo; Conscientia; Revista; 5; N. 1; Centro de Altos Estudos da Conscienciologia; Foz do Iguaçu, PR; Janeiro-Março, 2011; páginas 03 a 21.
Pedroso, Thatianna; Antiperfeccionismo na Invéxis; Artigo; Conscientia; Revista; Vol. 9; N. 2;9(2): Centro de Altos Estudos da Conscienciologia; Foz do Iguaçu, PR; Abril-Junho, 2005; páginas 187 a 193.
Teles, Mabel; Profilaxia das Manipulações Conscienciais; 2ª Ed.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2011; páginas 63 a 74.
Vicenzi, Luciano; Coragem para evoluir; 3ª Ed.; Associação Internacional Editares; Foz do Iguaçu, PR; 2012; páginas 40 a 72.


FONTE:https://assinvexis.org/autoconfianca-invexologica/: